Tornar-se sujeito afro-diaspórico: working with Du Bois, Frantz Fanon e Stuart Hall/ Becoming an Afro-diasporic subject: working with Du Bois, Frantz Fanon and Stuart Hall

Autores

Resumo

O que é ser Negro? Quais os contornos dessa subjetividade e as condições que posicionam esse sujeito nas redes, nos fluxos, nas forças e nas narrativas que a instituem? A tarefa a que nos propomos neste artigo é oferecer uma via genealógica possível acerca do modo como tais questões, coextensivas a diversas tradições intelectuais negras e à própria modernidade, ganharam forma e atravessaram as formulações de três intelectuais específicos: W. E. B. Du Bois, Frantz Fanon e Stuart Hall. Argumentamos que não só existe uma rota entre o pensamento desses estudiosos, que oferece um estatuto crítico para especulações acerca da constituição de tal sujeito/subjetividade, como há entre eles e as tradições intelectuais negras que representam a seguinte proposição: de que é possível enunciar uma existência nem oposicional e nem reativa, mas a de tornar-se um sujeito afro-diaspórico.  

Biografia do Autor

Cauê Gomes Flor

Professor Titular de Sociologia do Departamento e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar (Brasil) / Pesquisador do CNPq. Member of the International Scientific Committee for Volume IX, X and XI of the General History of Africa - GHA - UNESCO.       

Downloads

Publicado

2021-04-11

Edição

Seção

Seção Especial: Diásporas africanas: enfoques e perspectivas