"É a fome que te faz morrer, não a doença!” As trabalhadoras agrícolas entre o martelo da precariedade e a bigorna da COVID-19

impactos e estratégias de sobrevivência

Autores

  • El Hassane Abdellaoui Ecole Nationale d’Agriculture de Meknè
  • Zhour Bouzidi Université Moulay Ismail
  • Marcos Roberto Mariano Pina UNICAMP Universidade Estadual de Campinas
  • Marcos Roberto Mariano Pina UNICAMP Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Este artigo analisa o impacto da COVID 19 na situação socioeconômica das mulheres trabalhadoras agrícolas nas planícies de Sais e Gharb e as estratégias de enfrentamento que elas mobilizaram para lidar com a pandemia. A grande maioria das mulheres entrevistadas continuou a trabalhar em um ambiente repleto de riscos e incertezas. Diante da redução das oportunidades de emprego, do risco constante de contaminação, da estigmatização e das dificuldades em sustentar às suas famílias, as trabalhadoras mobilizaram várias formas de adaptação para garantir sua sobrevivência e a de suas famílias. Destacar estas capacidades de adaptação e resiliência nos permite repensar o papel e as condições de trabalho desta categoria esquecida das políticas públicas.

Downloads

Publicado

2022-07-07