“A vereadora antropófaga”, de Pedro Almodóvar: pensando gênero, corpo e desejo

Autores

  • Paloma Coelho PUC Minas
  • Juliana Gonzaga Jayme

Resumo

Este artigo discute o curta “A vereadora antropófaga”, de Pedro Almodóvar, a partir da perspectiva de gênero, analisando os significados construídos em torno do corpo, da sexualidade, do desejo, das noções de masculinidade e feminilidade elaboradas por esses discursos. Partindo da concepção de que o gênero se constitui por meio de práticas discursivas e reguladoras, de regimes de poder que controlam e significam os corpos, pretende-se analisar a linguagem, os sentidos e os deslocamentos presentes nessa produção a fim de se pensar não só a noção de corpo, mas também de gênero, como construções investidas de sistemas políticos e ideológicos.

Biografia do Autor

Paloma Coelho, PUC Minas

Doutora em Ciências Sociais pela PUC MinasMestre em Ciências Sociais pela PUC MinasGraduada em Turismo pela PUC Minas

Juliana Gonzaga Jayme

Professora da PUC Minas. Departamento de Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais.Bolsista produtividade do CNPq (processo 311365/2016-7).Doutora em Ciências Sociais pela UNICAMPMestre em Antropologia Social pela UNICAMPGraduada em Ciências Sociais pela UFMG

Downloads

Publicado

2021-10-06