Redes e capital social: usos possíveis e eventuais limitações enquanto categorias sociológicas / Social networks and social capital: possible uses and limitations as sociological categories

Autores

  • Attila Magno e Silva Barbosa, Angelo Martins Jr.

Resumo

No cenário configurado pela globalização é disseminada e fortalecida aquela que em ciências sociais denomina-se cultura de redes. Aqui, nos referimos, sobretudo, às redes de sociabilidade e de cooperação compostas pela união de agentes que se integram horizontalmente e que formulam modelos de organização pautados pela colaboração e por uma lógica de desenvolvimento integrado de sistemas socioeconômicos que possibilitam arranjos produtivos alternativos e solidários. O espraiamento e o fortalecimento dessa cultura de redes permite gestar formas mais participativas e efetivas de exercício da democracia, assim como de inserção social. Nas sociedades contemporâneas as redes atuam diretamente na estruturação de novas formas de relações sociais, configurando e, ao mesmo tempo, sendo configuradas pela intensificação dos fluxos econômicos, culturais, informacionais e migratórios promovidos pela globalização. Entre outras coisas, elas possibilitam a constituição de formas de integração de indivíduos e de grupos sociais que se voltam para a minimização dos custos de transação inerentes ao intercâmbio das experiências humanas. Assim, o objetivo deste artigo, apresentado na forma de um ensaio bibliográfico, é verificar os usos e as limitações do conceito de rede e do seu correlato capital social enquanto categorias sociológicas explicativas de questões ligadas ao desenvolvimento socioeconômico, à inserção dos indivíduos no mercado de trabalho e aos processos migratórios.Palavras-chaves: Redes; capital social; desenvolvimento socioeconômico; mercado de trabalho; redes migratórias.

Downloads

Publicado

2018-06-27