Desafios da democratização em Moçambique (1990-2014): uma análise crítica da geopolítica nacional

Autores

Resumo

O artigo examina o processo de democratização em Moçambique, desde a aprovação da primeira Constituição multipartidária em 1990 até as últimas eleições gerais realizadas em 2014. Mais concretamente, mediante revisão bibliográfica e documental, se analisa criticamente o ambiente geopolítico nacional que caracterizou as eleições gerais de 1994, 1999, 2004, 2009 e 2014. O argumento central que serve de sustentação do nosso texto é que, embora periodicamente se realizem eleições no País, decorridos 29 anos após a promulgação da primeira Constituição multipartidária, há ainda muitos desafios por enfrentar no concernente à (re)construção de Estado de direito democrático.Palavras-chave: Eleições, Democratização, Moçambique, oposição, partidos políticos.

Biografia do Autor

Albino Massimaculo, Universidade de Rovuma (UniRovuma)

Doutor em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás – Brasil; Mestre em Sociologia da Educação e Políticas Educativas pela Universidade do Minho (Uminho) – Portugal; Licenciado em Ensino de História e Geografia pela Universidade Pedagógica de Moçambique – Delegação de Nampula; Docente e Diretor do Instituto Superior de Transporte, Turismo e Comunicação da Universidade Rovuma (UniRovuma), Nacala, Moçambique. E-mail: amassimaculo@gmail.com

Óscar Morais Fernando Namuholopa, Professor da rede da educação em Moçambique.

Óscar Morais Fernando Namuholopa. Mestre e doutorando em Sociologia, pela Universidade Federal de Goiás. Professor da rede pública na Província de Niassa-Moçambique.

Dijaci David Oliveira, Universidade Federal de Goiás

Sociólogo e Professor da Faculdade de Ciências Sociais (FS/UFG). Coordenador de Pós-graduação em Sociologia (PPGS). Mestre e doutor em sociologia pela Universidade de Brasília (UnB).

Downloads

Publicado

2021-12-14