Made in Yiwu: rotas comerciais e agenciamentos migratórios

Autores

  • Carlos Freire USP

Resumo

Muito dos bens supérfluos, especialmente os de baixo valor, que são identificados como “Made in China”, são conhecidos em seu país de origem como “Made in Yiwu”. Coisas tão simples quanto absolutamente presentes em nosso cotidiano contam uma história diferente da narrativa das grandes corporações multinacionais que foram para lá atraídas pela mão de obra barata e que depois viam seus produtos copiados se espalharem pelo mundo. Este artigo discute rotas comerciais e agenciamentos migratórios que colocam essas mercadorias em movimento. Para tanto, elegeram-se como recurso analítico e descritivo os percursos de raquetes de matar mosquitos, dos semáforos da cidade de SãoPaulo até a pouco conhecida cidade chinesa da província de Zhejiang. Trata-se de delinear uma cartografia sociopolítica dos canais relativamente estáveis que dinamizam a circulação, o trabalho para colocar coisas como essas em movimento.Tal perspectiva ilumina alguns espaços e atores que animam a circulação de bens supérfluos, como também os controles, os conflitos, as formas de exploração e disputas que se dão nesse âmbito da circulação.

Biografia do Autor

Carlos Freire, USP

pós-doutorando no Departamento de Sociologia da USP. É membro do grupo de pesquisa "Cidade e Trabalho" do Laboratório de Pesquisa Social (LAPS)

Downloads

Publicado

2021-10-06